Os crescentes desafios de mercado, impostos pelo comportamento dos clientes e atuação de empresas concorrentes, atrelado a maior disponibilidade de recursos tecnológicos e informações, como o fenômeno do Big Data, são alguns fatores internos e ambientais que afetam diretamente a forma com que as empresas atuam nos seus negócios para gerar valor aos clientes e resultados aos interessados.

Nesse contexto de mercado, surgem novas teorias, ferramentas e modelos mentais de gestão para dar forma e estruturar novas estratégias capazes de resolver problemas, entregar valor e concluir projetos. É o caso do Design-thinking, Business Model Canvas e Project Model Canvas.

A idéia do Design-thinking foi resultado da aplicação de técnicas de desenho de produtos em 2009 pelo CEO da Ideo, Tim Brown, que resolveu os problemas dos seus clientes indo além do produto, ou seja, dando uma nova roupagem para o negócio. Nesse caso ele utilizou conceitos e técnicas de resolução de problemas não tradicionais.

A técnica do Design-thinking facilita a geração de ideias novas, e está estruturada em 5 aspectos: insights, que são descobertas repentinas surgidas através de profunda observação do problema, junto com as pessoas envolvidas; mapa mental, através do qual são desenvolvidos os mas variados pensamentos e modelos divergentes que poderão ser capazes de resolver o problema; prototipagem que é a simulação da resolução do problema através de produtos, maquetes, ou imagens; pensamento integrativo que é a habilidade de convergir ideias e ver o todo de forma contemplativa; e o pensamento visual, que é refletido na forma de desenhos e diagramas que mostram de forma simples a resolução do problema.

Através desses conceitos de design, é possível resolver problemas e desafios de forma efetiva, com ações que vão além do óbvio, porém de um jeito mais prático.

O Business Model Canvas, proposto por Alexander Osterwalder, é uma ferramenta que tem por objetivo criar e descrever o modelo de negócio, numa linguagem simples e comum, que quando implantado será capaz de agregar valor para o cliente e gerar resultados. Ao contrário do tradicional plano de negócios que contempla diversas análises como estratégia, marketing, finanças e recursos de um novo negócio, o Canvas é capaz de traduzir as ideias e propostas do negócio em um diagrama simples e lógico que contempla nove áreas: proposta de valor, segmentos de clientes, canais, relacionamento com cliente, fontes de receitas, recursos-chave, atividades-chave, parceiros-chave e estrutura de custos.

Essa estrutura estimula os empreendedores e gestores do negócio a pensar sobre algumas questões como: quem são nossos clientes mais importantes ? Qual o valor que nós entregamos para o cliente? Qual dos problemas de nossos clientes estamos ajudando a resolver ? Quais os principais recursos necessários para entregar as nossas propostas de valor? Quais são os custos mais importantes inerentes ao nosso modelo de negócio? Quais recursos e atividades-chave são mais caros? Como diversificar nossas fontes de receitas? Como atrair e manter parceiros-chave?

O Business Model Canvas nos faz pensar sobre as respostas dessas perguntas e ordená-las de forma lógica num diagrama prático, para analisar a viabilidade, testar, divulgar e implantar o modelo de negócio proposto. O Canvas é focado no mapa de proposta de valor, para resolver os problemas dos clientes, garantir a satisfação e resultados.

Tando o método de DT e o Canvas podemos customizá-los ou criar o nosso dependendo da área, do estilo ou objetivo da empresa.