Tendência e os estudos das Gerações

Desde a década de 80, os métodos para implantar, desenvolver ou prever tendências mudaram de uma maneira rápida não só pelo desenvolvimento do Design, mas pela transformação que a internet trouxe agilizando o acesso e os métodos de pesquisas. Sabemos que hoje contamos com algumas técnicas de pesquisa de Tendência que vai da clássica, passando pelos trendsetters, coolhunting, Gladwell teoria e finalizando no mapeamento de gerações.

O mais importante de saber ou dominar todas essas técnicas de tendências é entender o processo de desenvolvimento de cada uma delas e sua função dentro do mercado de hoje. O mapeamento das gerações é uma das técnicas mais utilizadas pelas grandes empresas para criarem tendências a partir das análises das gerações.

Existem quatro gerações ativas no mercado de hoje: Baby Boomers, Geração X, Y e a Z. A geração Z é a mais disputada, hoje em dia, pois é a geração que nasceu já com a internet. É claro, que todas as gerações possuem traços das gerações anteriores como base, mas esses traços alterados e incorporados nas novas características.

 

z-generation

 

A geração Z possui algumas características da geração Y, mas a maneira como eles lidam com essas características, acabam transformando a base Y, fazendo muitas vezes o pesquisador confundir os sutis traços por traços de outra geração.

Como iremos começar um ano novinho, escrevi quatro tendências que moldam o comportamento da geração Z e que vão ter ainda destaques em 2017.

#trend1: inovação
Essa geração já é muito ligada nas novidades tecnológicas e consequentemente muitos produtos e as pesquisas tecnológicas vão focar muito nesse pessoal. Temos que entender que essa geração já teve acesso  às muitas opções de tecnologia e pelas experiências econômicas que seus pais passaram, eles não gostam de pagar muito pela inovação. Mensalidades não são a praia desta geração e eles detestam varejo. Preferem produtos ou serviços customizados.

#trend2: conveniência
Como já disse, coisas fáceis, baratas e originais são atributos que essa geração procura. Em outras palavras: conveniência. Cuidado para não confundir essa geração com os adoradores da economia criativa ou nova economia. Eles não são, pois ainda são novos para entender de economia e essa geração detesta economia ou se preocupar em ganhar dinheiro.

 

how-market-generation-z-kids-who-already-have-44-million-dollars-spend

 

#trend3: segurança
Como disse é uma geração em que os pais dão ou estão dando muita segurança financeira e eles não se preocupam com dinheiro como a geração Y ou reconhecimento como a geração X. Então cursos voltados para a educação financeira, aplicativos ligados a planejamento do futuro e interfaces educacionais vão estar em alta. A geração Z adora cursos online, se interessam em administrar suas mesadas e querem entender de negócios. Eles já nasceram querendo abrir empresas.

generation-z_infographic

#trend4: escapismo
Como é uma geração onde os pais cobram muitas atividades e pouca responsabilidades pessoais, essa geração utiliza as redes sociais, chats, blogs e canais como ferramentas para escapar das cobranças dos pais e entenderem as oportunidades de mercado, mesmo não entendendo de finanças, essa geração faz  pesquisas nos sites de coolhunting para descobrirem a próxima novidade tecnológica.

Pessoal, vamos terminar o artigo por aqui e se você se interessou pelos estudos de tendências ou das gerações, check nosso curso online de Pesquisa de Atendentes ou de Tendências Generativas.

10+ anos de experiencia em marketing e branding com expertise em métodos como Design Thinking, UX, Personas Map, AI entre outras ferramentas estratégicas. Profissional criativo e versátil com experiência em implementar estratégias de marketing, design e conteúdo de branding para startups, media e high-growth empresas que apresentam atividades offline e online. Rodrigo já passou por empresas nacionais e internacionais, atendendo clientes como Netflix, Ross, South Bay Winery, Criar Sistema de Ensino de Lingua Portuguesa, Bio Soja, entre outros. Fundador da IESCD (Immaginare Escola de Criação e Design), hoje trabalha como free-lancer em Los Angeles, CA.

Deixe uma resposta